Encontros e Despedidas

Há 12 anos atrás, mais ou menos nesta mesma época do ano, eu estava no fórum mundial de educação em Porto Alegre. Ao contrário de outros congressos de educação que eu já havia ido antes, eu não estava muito interessado em encontros fugazes e sexo casual. Isto estava bem resolvido antes da viagem. Mas foi aí que eu conheci uma pessoa muito especial com quem eu vim a me casar meses depois. Foi uma paixão instantânea e fulminante. Foi uma época incrível. Aprendi muitas coisas e logo amadureci muito. Logo eu tinha uma família e não era mais o filhinho da mamãe. Tivemos um filho e construímos muitas coisas juntos. Também enfrentamos situações bem difíceis e nos ajudamos nestas horas. Sei que errei muito e poderia ter sido um marido melhor em diversos momentos. Poderia ter sido um pai melhor também em diversos momentos.

Hoje, 12 anos depois acho que este ciclo se encerrou. É difícil reconhecer que uma relação não faz mais sentido. Que a relação na qual se investiu tanto tempo e carinho não pode mais continuar. É um momento triste da vida. Realmente não há uma forma positiva de romper uma relação assim. Não existe momento ideal, nem palavras capazes de evitar a dor e o sofrimento em alguém que você amou por tanto tempo. Na verdade, não é verdade que deixei de amar. Acho que o nosso coração é muito elástico. Os amores e paixões não saem para dar lugar a outro. Eles se somam e se acumulam na nossa vida. Mas há momento em que nossas vidas caminham por rumos diferentes e devemos deixar quem amamos para trás, por mais difícil que isto seja. Isso não diminui o sentimento que temos pelo outro. Não é uma decisão fácil. Mas hoje, eu acredito que seja a melhor coisa a fazer na vida.

Tive a sorte de conhecer pessoas muito especiais na minha vida. Amigos, paixões e amores. Jamais deixei de gostar de cada um deles. Jamais deixei de ter saudades dos bons momentos que passamos juntos. E de fato, por uma conjunção espetacular de fatores, algumas destas pessoas são meus amigos e amigas até hoje. Mesmo as distantes. Espero um dia, termos a maturidade de nos tornarmos grandes amigos. Espero um dia podermos conversar de forma tranquila, quando toda a mágoa secar e ficar o respeito um pelo outro. Sei que agora isto será muito difícil. Sei teremos momentos turbulentos pela frente. Mas quero muito que isso venha a acontecer num futuro próximo.

Espero também poder ser um pai melhor no futuro para os meus filhos. Apesar de saber que os filhos jamais poderem ser motivo para manter um casamento, é bem verdade que eles podem sofrer muito no fogo cruzado dos pais. Espero ter momentos mais autênticos com meus filhos, com mais qualidade e espero que eles possam curtir este momento tanto quanto eu. Não quero que nada falte para eles e se depender de mim, quero fazer tudo que estiver ao meu alcance para não deixar ninguém na mão.

A partir de agora inicio um novo capítulo na minha vida. Vou redescobrir uma nova pessoa em mim. Curtir um bom tempo sozinho me conhecendo e experimentando coisas que deixei de fazer há muito tempo. Espero poder contar e rever velhos amigos e adotar uma postura mais saudável com a vida. Não existem planos traçados nem metas claras a serem atingidas. Mas quero ser feliz e espero que minha esposa também consiga encontrar a sua felicidade fora do nosso casamento. Hoje tenho certeza de que a busca pela felicidade está dentro de nós mesmos e não pode depender apenas de um parceiro, de uma relação a dois. Desta forma, uma despedida pode ser também um encontro. Um encontro consigo próprio, uma descoberta fascinante de uma vida nova possível que vale á pena ser vivida.

Hoje agradeço pelos maravilhosos anos que passamos juntos e lamento por não poder mais estar ao seu lado. Mas não me arrependo de nada. Não acho que uma relação que durou 12 anos possa ser considerada um fracasso. Acho que valeu a pena assim como continuando em frente muitos outros momentos farão tudo o mais valer á pena.

Encontros e Despedidas – Maria Rita

1 comentário

  1. Cláudio Leopoldino Responder

    Amigo, logo este momento será superado. Bola para frente! Não demore a visitar os amigos do Ceará!

  2. Walter Cruz Responder

    Cara, curto muito os seus textos de viés mais existencialista. Essa parte: “Acho que o nosso coração é muito elástico. Os amores e paixões não saem para dar lugar a outro. Eles se somam e se acumulam na nossa vida.” é muito real pra mim 🙂

    Boa sorte na caminhada.

  3. Edson de Lima Responder

    Acompanho teu blog mais pelo Postgres, sou quase anônimo, acho que esta é a primeira vez que comento. Gosto de tudo que li aqui, mesmo quando não relacionado ao Postgres ou bancos de dados. Não sou teu amigo pessoal, não tive contato com você fora das leituras por aqui. Então, espero não parecer intrometido com o que vou dizer, nem que se ofenda….
    Pelo que você diz, ainda ama muito ela. Pelo que transparece, talvez ela também. Não sei como foi a relação entre vocês, não sei se a situação é tão ruim assim. Sei que estou casado exatamente a 12 anos, com 3 filhos, sendo duas meninas gêmeas com 7 meses agora, no que posso descrever como uma incrível jornada, de longe a melhor coisa da minha vida.

    O que aprendi é que você jamais deve “esperar” algo no casamento.

    Você deve fazer acontecer.

    Não deve “esperar” passar mais tempo com os filhos. Não deve “esperar” ter tempo, “esperar” para poder conversar normalmente. Esperar só vai te fazer… esperar.

    Depois que perdi meu pai aos 15, pouco depois de ele me ensinar algumas das lições mais valiosas da minha vida, nunca mais “esperei” quando o assunto é relacionamento, seja ele qual for.
    Não durmo brigado com minha esposa, não prometo nada para meu filho que não possa fazer. E faço isso porque não sei se amanhã eles, ou eu mesmo, estarei aqui.

    • telles Autor do postResponder

      Separação é sempre difícil. Mas há tempo para tudo na vida. Acho que devemos ter coragem de fazer o que acreditamos ser o certo. Devemos seguir em frente. E em alguns momentos fazer o que é certo pode parecer errado para outras pessoas. O que importa é seguir em frente e tocar a vida da melhor forma possível, sem medo de ser feliz.

  4. Juliano Atanazio Responder

    Cara, tenho passado algo parecido.
    Só que até então não tenho filhos.
    É muito triste isso.

    Espero que aconteça o melhor para ambos.

    Mas realmente torço por um Re-Encontro e que a partir disso, não tenham que passar por isso de novo.

    Conversar com seus melhores amigos, ter um tempo pra refletir com calma são coisas que ajudam.

    Meus sinceros votos de boa sorte e sabedoria.

  5. Animal-X® Responder

    Pois é meu caro, bem vindo ao clube dos solteiros novamente!
    Também aconteceu comigo e já se vai um ano que voltei para casa dos meus pais, diversos problemas com o casamento me forçaram a tomar essa decisão.
    Espero poder nos encontrar para tomar uma breja e jogar conversa fora.
    Abraço e bola pra frente meu amigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *