Ócio produtivo!

Bem, deixo aqui um exemplo de que o ócio pode ser produtivo. Ficar navegando pela internet a ermo às 2 horas da manhã pode ser muito útil:

  • O Google. Claro que todos conhecem o Google. Será que conhecem mesmo? Bem, aqui vai a nova versão do EPIC, o EPIC 2015. Devidamente atualizado e com legendas em pt-BR.

    Bom, teoria da conspiração a parte, você reamente deveria assistir a este vídeo. O curioso é que antes ele parava em 2014. Com o lançamento do iPod eles atualizaram o vídeo.

  • Se você acha que realmente conhece agora o Google. Esteja preparado para não fazer perguntas idiotas. Pesquisar antes de perguntar é a regra número um para uma boa convivência na comunidade. Um bot no irc, fez a seguinte sugestão, ao ser perguntado pelo Google: For information about google see http://www.fuckinggoogleit.com/“. Não é fantástico?
  • Bom… descobri algo realmente fantástico hoje. Depois de aprender a mandar as pessoas para /dev/null, foi uma das coisas filosóficas mais profundas que eu descobri nos últimos anos: o significado da expressão “foobar”. Diga a verdade. Quando você começou a ler seus primeiros howtos na Internet você também não se perguntou de onde veio esta mania? Pois bem, ‘foobar’, está no wikipedia! Aí, você vai descobrir que existe até uma RFC para mostrar varias explicações da origem da expressão que já vem sendo usada há mais de 30 anos pelos hackers!
  • Bom, falando em Wikipedia, você já aprendeu a programar um famoso “Hello Word” em dezenas de linguagens de programação diferentes? Bom, não perca este então, tem coisas que só o Wikipedia faz por você!
  • O sucesso do software e filosofia wiki foi tão grande, que não apenas o Wikipedia se tornou uma enciclopédia universal, mas agora temos uma fonte de besteirol universal com a desciclopedia, que traz pérolas como o POG: “Programação Orientada a Gambiarra”, que já tem feito muito sucesso no Brasil…
  • Ler o “Livro do Camelo” do Larry Wall sobre Perl é bem mais divertido do que ler os livros oficiais da M$. E de quebra você ainda ganha uma recomendação para ler também “O Senhor dos Aneis”. Digamos que os hackers tem uma bibliografia muito mais bem humorada e franca!
  • Falando em PERL… eis o motivo de alguns a considerarem uma linguagem “write only”, ou seja: você escreve uma vez e nunca mais consegue entender o código fonte. Várias formas de se escrever um programa que escreva: “Just Another Perl Hacker“. Fala sério, precisa de outra linguagem de programação no mundo?

Bom… acho que por hoje é só. Se eu lembrar (ou for lembrado) de mais alguma coisa eu complemento depois… agora é melhor dormir um pouco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *