Destruindo um Pentium II

No fim-de-semana passado realizei uma experiência bizarra tentei gravar um DVD inteiro num Pentium II com 128MB. Tudo começou porque eu já estava sem máquina faz um tempo em casa e não dava mais para ficar usando o computador do trabalho. Então peguei algumas peças daqui e dali e montei meu Frankstein.

Depois de descobrir que eu teria de comprar um drive de CD pois os 2 que eu tinha por perto estavam imprestáveis, decidi comprar um gravador de DVD para aproveitar e fazer um backup de um HD antigo que estava usando FAT32.

Instalei o Debian num HD menor a parte e tudo ocorreu maravilhosamente bem. Com poucos cliques tinha o Gnome e o KDE funcionando. Legal, mas para garantir achei melhor instalar o WindowMaker para não carregar tanto a memória enquanto eu gravasse o DVD. WindowMaker instalado, foi a vez do K3B… pimba intalado. Subi o K3B dentro do WindowMaker… Demorou um pouco, mas vamos lá.

Comecei a selecionar algumas pastas para tirar o backup. Uns 500MB aqui, 150MB ali e puxo uma pasta com 1GB… demorou um pouco. Agora tudo está muuuuito lento. Depois de ir dar um passeio fui arrastar outra pasta grandinha, uns 3GB. Bem aí eu fui fazer outra coisa.

Algumas horas depois vi que estorei o tamanho do disco. Aí começou a minha tristeza. Tive que tentar navegar entre as pastas para tirar alguma coisa para diminuir o tamanho total da gravação. Isto me custou algumas horas de muuuuuita pasciência.

Enfim, tudo pronto, mandei rodar gravação: em uma hora e 2 minutos estava tudo resolvido. Desliguei a máquina e deixei ela descançar uma 2 horas… ela já estava fervendo, mesmo sem a tampa. Liguei a máquina de novo e….

e nada!!! Nem sinal de vídeo. Arranquei tudo da máquina, limpei contatos, deixei só memória, processador e vídeo e nada! Perdi a máquina… bem acho que aprendi a lição… tarefa de gente grande não é para pé de chinelo. Precisa de máquina e pronto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *