… o autor

Meu nome é Fábio Telles Rodriguez, trabalho como DBA (Administrador de Banco de Dados), consultoria em banco de dados e desenvolvimento web. Comecei a mexer com computadores há uns 20 anos, quando meu pai comprou um CP 400 para fazer a sua tese de mestrado. Depois vieram os Apple II e IIe, o primeiro PC e comprei o MEU primeiro computador, um 486DX2 66, quando trabalhava como técnico em eletrônica. Utilizei o serviço de Video-Texto, no tempo em que só a Telesp oferecia este serviço em São Paulo, passei pelas BBSs como Mandic e STI e hoje tenho um computador que fica 24×7 conectado na Internet em casa e compartilho o servidor do Midstorm com o Fike e o Jack.

Comecei a mexer com banco de dados catalogando a coleção de discos em vinil do meu pai usando um software para o Apple IIe que cabia num disquete de 5’1/4 !! Passei um bom tempo trabalhando na área de educação como instrutor de ensino profissionalizande, alfabetização de adultos e como coordenador pedagógico. Ajudei a modelar alguns sistemas para a área de educação e sistemas para pesquisas quantitativas, quando comecei a trabalhar em tempo integral como DBA.

Meu primeiro contato com Software Livre foi em 2002 utilizando o Debian Woody. Logo comecei a utilizar o PostgreSQL e passei a conhecer a comunidade, até começar a participar de eventos e dar algumas palestras. Ajudei a criar o Debian-Zine e o PSL-ABCD e a organizar alguns de seus eventos. Participo de algumas listas de discussão por e-mail e procuro escrever alguns artigos técnicos para ajudar o pessoal que está começando ou para documentar algum trabalho que fiz e acho que pode ser útil para outras pessoas. Gostaria de ter mais tempo para escrever mais coisas e ajudar programar um pouco em projetos como o Debian e PostgreSQL, mas por enquanto, procuro deixar algum tempo para outras coisas importantes como tomar tomar boa cerveja com os amigos, comer boa comida e filosofar sobre a vida, sobre projetos e sobre o mundo.

…O blog

Este blog surgiu da vontade de escrever sobre tudo aquilo que vem em minha mente já nos tempos de escola quando eu participava do jornal “Estopim”. A idéia do SAVEPOINT em banco de dados é marcar um momento no tempo onde você tem um ponto notável onde poder querer voltar ou não. Um SAVEPOINT demanda alguma consistência naquilo que foi feito anteriormente, representa de alguma forma um avanço, mas não um ponto final.

Assim deve ser este blog, um ponto no tempo onde algumas idéias se juntam de forma caótica ou não para representar um conjunto que faça algum sentido para mim. Olhando para trás, vejo que há uma série de coisas que escrevi no passado que mudaram para mim com o tempo. Há textos antigos aqui, que datam de 1995 quando eu ainda usava BBS… coisas da minha adolescência e fruto de minha inexperiência eterna.

Ao invés de apagar meus erros ou atualizar meus textos eu me dou o direito de deixa-los como estão e abordar o assunto novamente depois em outro texto, se isso me incomodar demais. O SAVEPOINT já passeou muito por aí… começou no WordPress num serviço de hospedagem gratuito que eu nem lembro no nome (depois que eles perderam meus posts eu também esqueci o nome deles) depois passou um tempo no Multiply e chegou no servidor Midstorm do fike usando Xoops. Depois de um pouco de relutância eu finalmente voltei o WordPress.

Já me perguntaram se eu não deveria utilizar uma ferramenta que utilizasse o PostgreSQL como banco de dados… e minha resposta é não! O Midstorm está hospedado hoje no Rimuhosting numa máquina virtual utilizando Xen. Acho que o PostgreSQL seria uma solução superdimencionada para um simples blog. É claro que soluções ainda mais simples que o MySQL poderiam ser utilizadas como o SQLite. Mas estou convencido de que utilizar o WordPress com o mínimo de hacks possível seja a melhor opção para gastar mais tempo escrevendo e menos tempo dando manutenção no Blog. O WordPress é realmente uma ferramenta com uma interface muito amistosa, bons recursos para um blog e bem leve. Não tenho a intenção de mudar tão cedo novamente.