Divagações

Médicos Sem Fronteiras

Eu sempre acho que a gente deve agradecer ao universo quando boas coisas acontecem com a gente. Independente de religião ou credo, acho que a gratidão e fazer o bem ao próximo deveriam nos unir enquanto seres humanos. Então de tempos em tempos eu faço uma doação para alguma causa que eu admire, com pessoas que trabalham e lutam por um mundo melhor. Em geral eu costumo fazer doações pare entidades ligadas informática: Wikipedia, EFF, Gnome, PGXN e por aí vai. Este ano a Timbira está indo muito bem com novos clientes e antigos clientes voltando. Estou muito feliz com o nosso progresso e com o nosso trabalho.

Eu sempre tive muita desconfiança de projetos assistenciais. Já trabalhei junto de algumas e conheço escândalos de corrupção absurdos em várias. Mas eu lembro uma vez que meu pai me contou sobre quando decidiu ser médico, ele queria trabalhar para o Médico Sem Fronteiras. Que aqueles médicos eram os grandes heróis da profissão. Pessoas que honram o Juramento de Hipócrates e que fazer da sua profissão um ato de fé na humanidade. Mas… ele virou pai e teve que abandonar essa ideia para se dedicar à família. Claro que ele encontrou outras formas como médico de ajudar as pessoas, como o fez no combate à desnutrição infantil, um trabalho de toda uma vida.

Hoje estou fazendo uma doação para o Médico Sem Fronteiras, que são um exemplo para mim de pessoas cujo trabalho deve ser admirado e apoiado. Espero um dia como profissional poder levar a mesma paixão e compromisso para o meu trabalho. Se mais pessoas pensarem assim, certamente teremos um mundo melhor.

Hold On!

Leave a Reply