Campus Party, o evento mais quente do Brasil

Fui no Campus Party apresentar minha humilde palestra “Postgres Wonderland” na quinta-feira 31/01/2013.  Cheguei muito cedo, pois minha palestra era às 10h da manhã e justo ontem era o dia do meu rodízio, então cheguei antes das 7h. Não pude ficar até muito tarde, mas ainda assim deu para curtir um pouco o clima do evento.

Pontos positivos

  • O espaço físico amplo do Anhembi foi bastante adequado para o evento. A disposição física das mesas, sofás e palcos também facilitou bastante a circulação;
  • As mesas enormes com cabos de rede espalhados facilita muito a reunião de grupos, seja para fazer uma lan-party, para se dedicar a um projeto, criar uma empresa ou mesmo papear com os amigos;
  • A existência de palcos com temas bem variados como robótica, astronomia, games, programação, segurança, software livre, conteúdo digital, etc;
  • O clima descontraído do local. Não vi nenhum campuseiro de roupa social. Bermudas e chinelos compunham o visual básico lá;
  • A proporção equilibrada entre o público masculino e feminino foi algo inédito para mim. Nunca vi um evento de informática tão bem frequentado. As Linuxchix ficariam com inveja, certamente;
  • Os simuladores de avião e carros pareciam bem legais. Pena que não tive tempo de testar.
  • Os casemods são sempre um espetáculo à parte.
  • A ênfase ao empreendedorismo foi gritante. A presença do SEBRAE foi bem agressiva, mas eu acredito que foi bem positiva;
  • Os 2 links de 30 gibabits…  que trouxe o bordão “todo download vale a pena quando a banda não é pequena”. Destaque para a quantidade de upload que estava bem alto também;
  • A organização e a segurança, com credenciamento de equipamentos, etiquetas com códigos de barra, detectores de metal e tudo o mais. Parece que o pessoal deixa seus equipamentos sobre a mesa sem se preocupar muito;
  • Ter encontrado os também palestrantes Christiano Anderson e o Fernando Ike, com quem almocei na praça de alimentação. O Renka que foi quem me convidou para o evento eu não encontrei. Dizem que ele estava com uma mega ressaca do dia anterior…
  • A diversidade de grandes nomes que palestraram lá. São pessoas que atraem os mais diferentes tipos de pessoas. De astronautas a criadores de games, de defensores da liberdade digital a grandes programadores.
  • A turma de Software Livre do Campus Party, que estavam em frente ao palco Sócrates e estavam fazendo um grande trabalho por lá.

Claro, como todo grande evento, algumas coisas ruins foram encontradas:

  • O mais óbvio de todos, o calor. O Anhembi é um lugar complicado. No inverno tem um vento gelado e cortante, no verão parece uma grande estufa coberta de metal. No palco as luzes da filmagem triplicaram o calor. Com 30 minutos de palestra eu estava esgotado com o calor e quase perdendo a voz;
  • A ênfase aos vídeo games era latente. O campeonato mundial de World Of Warcraft foi o evento mais concorrido no período que eu estive lá; Claro, se eu tivesse 20 anos é bem provável que eu quisesse participar/acompanhar também.
  • As buzinas que tocavam eventualmente atrapalham um bocado quem está concentrado. Particularmente o esquema de arenas abertas, sem paredes, torna o trabalho do palestrante mais desafiador. É bem mais difícil prender a atenção do público.

No geral eu gostei muito do evento. Tem uma pegada mais leve e descontraída. Não sei se é tudo aquilo que alguns divulgam ou imaginam, mas é realmente algo para se conhecer. Se eu puder, espero voltar no ano que vem com mais tempo. Acho que dá próxima vez, trago meus filhos, com certeza eles vão curtir bastante, 🙂

1 comentário

  1. Vinicius AC (@viniciusasdf) Responder

    Ótima palestra ( Acabei de assistir ).
    Estou com um projeto grande(assim espero) e em fase inicial. Já tivemos algumas discussões sobre o banco de dados que será usado em produção, mas ainda não batemos o martelo. Neste sentido, sua palestra foi muito útil. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *