A marca de Linus

Resposta a um e-mail indagando sobre o licenciamento da marca linux, como descrito no link.
Marca é uma coisa, código fonte é outra. Você também não pode usar o
logo da Red Hat. Quem cria uma marca deve cuidar dela ou como dizem em O Pequeno Príncipe: “És eternamente responsável por tudo aquilo que cativas”. Vou dar um exemplo completamente fora de contexto…

Paulo Freire deixou um legado importante na área da Pedagogia para todo o mundo. No entanto, não sei se é bom quando qualquer um ‘vende’ um produto como um curso ou uma consultoria dizendo que emprega o ‘método Paulo Freire’. Estudei numa escola chamada “Paulo Freire”. Quando colocaram este nome na escola, ninguém consultou O Paulo Freire, que além de vivo, não ficou muito feliz de ter seu nome numa escola que ele nem conhecia. No enterro do Paulo Freire, uma personagem conhecida no meio da educação lhe dedicou uma cartilha que serviria para alfabetizar adultos em apenas alguns meses, usando o “método Paulo Freire”, é claro. Além de ter realizado uma ofensa grave ao nosso querido Paulo Freire, é curioso o fato do próprio Paulo Freire, nunca ter escrito um “método” propriamente dito.

Acho que o que o Sr. Linus está fazendo é lícito. Não sei se é a melhor forma de proteger a marca Linux, mas é realmente uma tentativa. Não gosto da ideia de algumas empre$as utilizarem a marca Linux para qualquer fim. É uma experiência, vale a pena acompanhar para ver se será boa ou não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *